Luxemburgo concede passaporte europeu para descendentes pelo mundo


A flexibilização das leis fez com que Luxemburgo (pequeno país da Europa, localizado entre a Bélgica, a Alemanha e a França), considerasse a expedição de passaporte da União Europeia para descendentes de luxemburguenses. O Diário Catarinense trouxe uma reportagem em que mostra o aumento da procura pelo documento pelos moradores de Santa Catarina, tendo principalmente em regiões que falam o alemão e o francês. O país é uma democracia parlamentarista, com governo chefiado por um primeiro-ministro. Foi um dos seis países fundadores da União Europeia e tem uma população de pouco mais de meio milhão de habitantes.

Veja o que faz caso você tenha ascendência em Luxemburgo:

 
- O primeiro passo é conseguir documentos que comprovem. No caso de antepassados já falecidos, é necessário ter em mãos certidões de nascimento, casamento e óbito.

- O material precisa ser traduzido para o francês ou o alemão (línguas oficiais do país) por um tradutor juramentado.

- Em seguida, o processo deve ser enviado para apreciação das autoridades luxemburguesas (o endereço físico de envio pode ser conseguido pela internet, no site www.guichet.lu). Quando houver a comprovação oficial da ancestralidade, é necessário que o requerente vá até Luxemburgo para pedir oficialmente a cidadania.

- Um certificado legal, então, é enviado por correspondência. A partir desse momento, a cidadania já está concedida. Após isso, em uma segunda etapa, é feito o pedido do passaporte e da identidade europeia.

- A duração total do processo é variável: pode levar de alguns meses até mais de dois anos. O prazo final para o requerimento da cidadania é 31 de dezembro de 2018.