24 horas em Bariloche









Ana Paula Ruschel, jornalista e viajante

A minha ida recente a Bariloche foi um mero acaso. Por erro da companhia aérea, que ao invés de me mandar de Buenos Aires a El Calafate conforme minha compra inicial, alterou meu vôo para Buenos Aires/ Bariloche (24 horas na cidade)/ Bariloche/Buenos Aires e só depois chegar a El Calafate. Apesar do meu hotel estar pago em El Calafate, não tive dificuldades em achar algo em Bariloche em cima da hora. Pois bem, eu tinha 24 horas na cidade e tinha que mudar a vibe da viagem, que até então estava sendo de guerra com companhias aéreas. Então, eu e meu marido decidimos “sofrer” com estilo em Bariloche. Criamos um roteiro de um dia que compartilho com vocês:




Visita a um Cerro

O tempo é curto e por isso, na minha opinião, ao invés de sair fazendo tudo com pressa, escolha uma das montanhas para visitar. Nós escolhemos o Cerro Catedral pois estava rolando uma competição de esqui. Como fica distante do centro da cidade, saímos do aeroporto umas 10h30min, deixamos as malas no hotel e já fomos para lá. Ficamos até umas 16h. Mas há outras opções:

- Cerro Campanário oferece uma linda vista da cidade e do lago Nahuel . Lá de cima dá para ver ainda muitos outros atrativos, entre elas a Isla Victoria, los cerros Otto, López, Goye, Catedral e toda a cidade de Bariloche;

- Cerro Otto é a montanha mais próxima da cidade e fácil de chegar tem um restaurante giratório, a 1.405 metros acima do nível do mar. O caminho até o restaurante é um teleférico.


Caminhada no centro

Saímos do Cerro Catedral diretamente para o Centro da cidade. Os top 5 desta caminhada são

- Conhecer o Centro Cívico, onde estão o Museu da Patagônia, a bandeira argentina e o monumento à Julio Roca, a Biblioteca Popular Domingo Faustino Sarmiento,  a Municipalidade de Bariloche, o Correio Municipal e um departamento policial. Além disso há a vista linda para o lago. Dependendo do dia, há pessoas com cães São Bernardo oferecendo uma foto com o animal (paga, é claro);

- Visitar e se deliciar em uma mas muitas lojinhas de chocolate. Dizem que Bariloche é a cidade da Argentina com mais lojas de chocolate por habitante. Além de levar para casa essas delícias, é possível visitar as fábricas. Tem ainda o  Museu do Chocolate que pertence à Havanna, marca de doce de leite e alfajores. Nosso tempo na cidade só permitia a degustação!

- Apesar de ser pequeno, o Centro tem uma variedade de lojas. Roupas de marcas célebres até artesanato local estão entre os itens que mais atraem.  Entre as lembranças, estão os colecionáveis copos de tequileira, chocolate, cachorrinhos São Bernardo de pelúcia e artigos com o nome da cidade (camisetas, gorros, moletons, etc);

- No jantar, com temperaturas muito muito baixas, optamos por empanadas e uma sopa dos famosos cogumelos patagônicos. Uma delícia. Mas pelo centro há muitos restaurantes e bares que agradam diferentes expectativas;


- E para finalizar o nosso roteiro, tivemos um brinde: um café da manhã (com as medias lunas) com vista para as montanhas e neve! Esse momento foi apreciado com minutos de sobra!