Quatro novos moradores no Zôo Pomerode

Foto: Jaime Batista da Silva


Leões-angolanos foram trazidos em uma operação especial de um programa de conservação da espécie

Tem gente que torce o nariz, mas zoológico também pode ser sinônimo de benefício aos animais. É que eles servem para salvaguardar a diversidade biológica. E é justamente este o propósito da chegada de quatro leões-angolanos que se mudaram recentemente ao Zôo Pomerode, em Santa Catarina.

Eles vieram de Lisboa, numa operação especial que exigiu um longo e intenso esforço para que os bichos fossem trazidos da maneira menos estressante e segura possível. Foram oito mil quilômetros de distância, 12 horas de avião. O desembarque foi em Guarulhos e depois mais um percurso de caminhão por 600 quilômetros até a cidade mais alemã do Brasil, Pomerode, que mantém um dos mais antigos zoológicos do país.

A operação exigiu autorização especial do Ibama, Ministério da Agricultura e Receita Federal. Em todo o planeta, atualmente, são apenas 74 destas subespécies em zoológicos. Estes quatro que foram trazidos para Santa Catarina fazem parte de um programa internacional de manejo cooperativo. Em Lisboa foram mantidos outros 14, mas que podem ser levados para outros locais do mundo caso haja condições técnicas de recebimento dos animais.

Esta complexa operação mereceu destaque nacional e foi uma das reportagens do Fantástico. Confira aqui.