De Kombi, 1,2 mil metros morro acima

(*) Por Ricardo Ruas, Thábata Santos e Tércio Pereira 


Na segunda-feira – terceiro dia da viagem - encaramos um desafio mais simples, o alto do Cânion Fortaleza. Subimos de Kombi com o guia da pousada e mais outros hóspedes: um casal de Florianópolis e outro de Curitiba. A interação se deu logo na primeira noite, com o jantar servido em uma grande mesa redonda, com todos os hóspedes um de frente para outro. Em 15 minutos todos eram os melhores amigos de infância.

E esse clima seguiu no passeio conjunto. Subimos a serra, em direção ao Rio Grande do Sul, para ver do alto este espetáculo da natureza. Foi divertido, foi. Foi bonito, foi. E foi mágico. Confira no vídeo este grande momento.



As aventuras nos cânions entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul é mais uma, das várias já vividas por este trio de amigos que adora viajar. No post de amanhã, contaremos sobre o último dia na divisa dos dois Estados e mostremos os cânions de Itaimbezinho e Índios Coroados.

...


Dicas desta trip

1.           Na parte alta é trilha de nível tranquilo e recebe diferentes públicos, incluindo crianças e idosos. Como é plano, é fácil a locomoção. Dá para ir sem guias. Lembre-se que é cobrado ingresso no parque.

2.           As trilhas na parte de baixo vão do nível moderado ao alto. Aqui é preciso ter um pouco mais de condicionamento físico e curtir aventura para se embrenhar na mata e aproveitar tudo o que os cânions têm para oferecer. Nestes locais, o ideal é ir com guia, para sua segurança. Na trilha do Rio do Boi os guias são exigência da administração do parque Aparados da Serra. 

3.           Nos passeios você pode ir com o seu carro próprio, mas a estrada que sobe a serra é complicada, ruim. Se fosse você, optaria por ir com os guias locais.


* Ricardo Ruas é jornalista e diretor de conteúdo da Oficina das Palavras, Thábata Santos é enfermeira e Tércio Pereira é empresário.