A escolha da escola para um intercâmbio

Escolher onde estudar durante uma viagem de intercâmbio fora do Brasil é de extrema importância. É que estas atividades farão com que você melhore seu nível gramatical e de conversação. Tive sorte nas três escolas em que frequentei nas diferentes experiências de intercâmbio: Toronto, Sydney e Nova York.



A escolha sempre foi feita pela agência de intercâmbio, que é parceira das escolas. Neste caso específico nos Estados Unidos, quem realizou a matrícula e fez todo o processo foi a Hi Bonjour. Eles me apresentaram a ILSC NY, escola que tem unidades em outras cidades do mundo e que garantiram um ótimo período enquanto estive fora.
Quero Bolsa

Neste vídeo, apresento a escola para você ter uma noção do que me refiro.


A equipe da Hi Bonjour visita pessoalmente todas as escolas parceiras, nos diferentes países. E isso facilita para o intercambista, já que os profissionais têm noção prática de cada unidade e conseguem manter um nível padrão nas várias cidades do mundo em que têm parceiros escolares. De uma maneira geral, é importante estar atento a quatro itens ao optar por uma escola:

1)    Estrutura física
Quantidade de salas de aula, computadores disponíveis, recursos multimídia e até cozinha com geladeira e micro-ondas são itens importantes numa escola de idiomas no exterior. Estes últimos itens podem parecer estranho, mas em cursos em que os alunos estudam pela manhã e parte da tarde, ter equipamentos para guardar e esquentar a comida são muito relevantes.



2)    Mescla de nacionalidades
As escolas precisam ter alunos de várias partes do mundo para dar a bagagem cultural que o intercâmbio sugere. E para evitar criar grupos de pessoas de um mesmo país, fazendo com que o inglês deixe de ser prioridade. Quanto mais diversificado, melhor.



3)    Atividades extracurriculares
Um calendário de atividades pós-aula, até mesmo em finais de semana, mostram a relação da escola com o aprimoramento do estudante. Piqueniques, shows, campeonatos esportivos, visitas a museus e roda de conversas são algumas das atividades que asseguram a relação entre alunos e professores e o reforço da conversação sempre no idioma do país em que se faz intercâmbio.


4)    Método de ensino
Aulas de gramática e de conversação, trabalhos externos, pesquisas, entrevistas, produção em vídeo e áudio... Há várias possibilidades de garantir o ensino de maneira prazerosa e sem a percepção das salas de aula convencionais. Claro, há os momentos em que isso se faz necessário, mas a variação é importante para o aprimoramento da língua estrangeira.



Quero Bolsa