Muito além do ensino da Língua Inglesa


Ensinar inglês é apenas um dos quesitos de uma boa escola de idiomas. Dentro ou fora do Brasil, os alunos precisam se encantar com a metodologia e sentir prazer em frequentar as aulas e experimentar as novas palavras. Durante três semanas acompanhei o dia a dia de centenas de alunos de vários continentes. Além de aulas animadas, com temas atuais e uma dinâmica que evita distrações, as aulas devem continuar fora das salas e sem que os alunos encarem como obrigação. Quer saber como?



- nas áreas comuns da escola que frequentei (Quest) o único idioma aceito era o inglês. Caso os brasileiros se encontrassem pelos corredores, nada de tentar usar a língua nativa;



- lazer com os professores: a escola mantém um calendário repleto de passeios e atividades turísticas acompanhados pelos professores. Tem ida a museus e jogos de hockey, comemoração em pubs e até passeios a cidades vizinhas a Toronto, onde é a sede da escola;

- atividades extra-curriculares: às quartas-feiras um grupo de alunos se encontra na secretaria da escola e, acompanhados de um professor, os estudantes vão a um local público para o momento Conversation Group. Durante quase duas horas há um bate-papo livre (claro que em inglês) e o professor ajuda nas correções;

- sugestão de atividades para o final de semana: um quadro de avisos dá uma idéia de como é possível conhecer o Canadá e cidades dos EUA em excursões organizadas para estudantes;




- guloseimas em valores bacanas: máquina de fazer pipoca, cakes, chocolate, café, chá e muitas delícias a preços mais baixos do que os do mercado. E ainda micro-ondas para esquentar a comida que vem de casa ou é comprada em mercados próximos à escola. Como a Quest fica numa quadra que tem literalmente tudo, eu tinha opção de escolher onde comprar meu almoço. Um dos supermercados eu até já citei por aqui;



- escolha dos destaques do mês: os alunos que mais se esforçam ganham certificado e premiação. O anúncio desses alunos é uma festa;

- dicas de lazer, dicas de compra, dicas de ensino e ajuda para se adaptar a nova realidade. Isso tudo é com a escola. Eu vivia perguntando como chegar aos pontos turísticos, onde comer, etc. Enfim, uma escola de inglês que se propõe a ensinar a estrangeiros é muito mais do que uma instituição de ensino. Ela acaba sendo a principal referência dos alunos em terras estrangeiras. Quem pode falar melhor sobre isso é o diretor executivo da Quest languages, Marc Taslimi. Assista ao vídeo.